O que o Coaching pode fazer por você

Se o desejo é obter mais sucesso na vida, o Coaching é certamente o caminho ideal.

No início do século XXI, pesquisadores de todo o mundo começaram a buscar indícios científicos dos benefícios do Coaching.

Hoje, o Coaching baseado em evidências é uma realidade e há diversos resultados comprovados que podem ser alcançados com o apoio de um Coach.

Com o Coaching, você tem, acima de tudo, a chance de eliminar seus hábitos improdutivos e de assumir o controle de sua própria vida.

Indicado para as pessoas que buscam realização absoluta na vida profissional ou pessoal, o processo pode ser utilizado em todos os aspectos da vida para acelerar o processo de concretização dos seus planos.

Coaching para a Vida Pessoal

O Coaching agrega muito à vida pessoal do indivíduo. Isso ocorre porque:

• Ajuda a identificar problemas e bloqueios;

• Aumenta o autoconhecimento e a autoconfiança, elevando o equilíbrio e a harmonia interiores;

• Auxilia na gestão do estresse;

• Fornece ferramentas para aprimorar a comunicação e os relacionamentos;

• Melhora o foco, o planejamento e a gestão do tempo.

Os resultados com o Coaching são inúmeros, de acordo com as necessidades de cada um.

Assim, guardar dinheiro, ingressar no Ensino Superior, aproveitar os momentos de lazer, lidar com a maternidade e planejar viagens são alguns dos inúmeros benefícios que o Coaching pode acrescer à vida de quem se volta às suas práticas.

Vale ressaltar que o Coaching é uma oportunidade ímpar de conhecer melhor a si mesmo e, portanto, de entender melhor os próprios desejos, de encontrar formas de alcançá-los e, surpreendentemente, de reconhecer que todo o potencial para essas realizações já está dentro de si.

Assim, no processo de Coaching, aprender não significa apenas obter conhecimento, mas sim expandir a capacidade de ação para conquistar o que deseja.

Coaching e o Sucesso na Vida Profissional

O indivíduo que deseja se tornar um profissional exemplar e desenvolver uma carreira de sucesso tem o Coaching como uma excelente opção.

Afinal, no ambiente empresarial, saber lidar com os diferentes temperamentos, solucionar conflitos, manter o foco em performance e produtividade, controlar a ansiedade e administrar o tempo são competências fundamentais para quem deseja ter uma trajetória ascendente.

Nesse contexto, as vantagens do Coaching são ainda mais notáveis.

O profissional aprende a aliar competência técnica e emocional, para que possa ser percebido de forma positiva por colegas, gestores e líderes – uma oportunidade de abrir caminho para a conquista de posições de destaque na empresa, independentemente de sua profissão ou área de atuação.

Outro aspecto relevante é que o processo de Coaching também oferece auxílio para o indivíduo definir suas projeções para o futuro, estabelecer os fatores que lhe proporcionarão satisfação profissional e, assim, buscar as oportunidades mais adequadas ao seu perfil no mercado de trabalho.

Benefícios Gerais do Coaching

Os benefícios para o indivíduo são:

• Mais conquistas, alegria e plenitude;

• Aumento da realização e satisfação pessoal e profissional;

• Elevação da harmonia e do bem-estar interiores;

• Gestão do tempo de forma otimizada;

• Equilíbrio entre todas as áreas da vida;

• Mais congruência interna e externa;

• Diminuição do stress e de preocupações desnecessárias;

• Mais disposição, energia e saúde;

• Relações mais saudáveis e produtivas;

• Comunicação mais clara e eficaz;

• Melhor entendimento e aceitação das outras pessoas;

• Novas habilidades para resolução de conflitos e problemas;

• Otimização do trabalho em equipe;

• Redução dos conflitos interiores e interpessoais;

• Melhor autopercepção e conhecimento de si mesmo;

• Elevação da autoestima e da autoconfiança;

• Melhoria dos resultados financeiros;

• Mais foco e habilidade para estabelecer e alcançar objetivos;

• Melhora na motivação e autodisciplina para seguir seu planejamento;

• Mais inteligência emocional para administrar as próprias emoções;

• Visão e inteligência social mais amplas para “ler” o ambiente ao redor;

• Modificação de hábitos improdutivos;

• Aumento de responsabilidade pelas ações.

Gostou deste conteúdo? Então curta, comente e compartilhe!

Quer saber mais? Então se liga nos próximos posts e envie agora mesmo suas dúvidas para contato@rodolfovasconcellos.com.br.

Até a próxima!

O que não é Coaching

Nos últimos posts falei sobre o que é Coaching e um pouco da origem e história do termo.

Hoje vou falar sobre o que não é Coaching!

É relativamente comum haver confusão entre Coaching e outros conceitos que preveem melhorias na qualidade de vida das pessoas, como psicoterapia, autoajuda e PNL.

Também são muitos os que pensam no Coaching apenas como uma ferramenta para ser aplicada no mercado de trabalho, tirando a conclusão de que os Coaches não são muito diferentes dos headhunters, consultores ou mentores – o que é uma inverdade.

O primeiro passo para entender as devidas distinções é ter em mente que o Coaching é um processo com começo, meio e fim, com foco sempre no futuro e nas metas a serem atingidas pelos clientes (Coachees).

Logo, Coaching não é terapia, não é autoajuda, não é mentoria ou PNL (Programação Neurolinguística).

Para entender melhor, veja a seguir algumas diferenças de forma objetiva.

Coaching e Psicoterapia

A psicoterapia tem como objetivo encontrar a origem dos problemas emocionais e resolvê-los. Neste aspecto, o processo de Coaching se diferencia bastante de uma psicoterapia.

Enquanto a psicoterapia lida também com pessoas em processo de recuperação de eventos traumáticos (sejam de pequena ou grande proporção), o Coaching é destinado àquelas que já têm plenas condições de atingir resultados específicos e mensuráveis em um período determinado de tempo.

Um Coach nunca dará respostas ao seu cliente, mas o conduz por um caminho de transformação, no qual o Coachee adquirirá o conhecimento e as ferramentas necessárias para o alcance de seus objetivos, sejam eles pessoais ou profissionais.

Assim, ao Coach não é recomendado atuar com pessoas em fase de recuperação psíquica.

Isso porque o Coach exerce uma considerável pressão sobre o Coachee no que diz respeito ao alcance de metas, e, caso a pessoa possua instabilidades emocionais, sejam manifestas ou latentes, as consequências podem ser potencialmente graves.

Coaching X Mentoring X Consultoria X Headhunting

Coaching não é consultoria, não é mentoring nem headhunting.

O consultor é um especialista em determinada área, contratado para oferecer uma análise e alternativas para alguma questão.

Já o mentoring é uma relação entre mestre e discípulo, e o requisito maior é que o mentor tenha larga experiência para orientar o cliente (este, sim, em processo de desenvolvimento de competências).

Os headhunters, por sua vez, são profissionais que dão dicas de como se portar em entrevistas de emprego.

O Coach, por outro lado, não precisa ser um especialista nos desafios do cliente. Ele também não oferece conselhos, mas sim auxilia na identificação dos obstáculos e das principais virtudes do cliente.

Em seguida, Coach e Coachee desenham juntos um plano para o desenvolvimento dos potenciais do cliente e suas próximas ações.

Coaching X Programação Neurolinguística (PNL)

Embora muitas pessoas estejam vendendo treinamentos de Programação Neurolinguística (PNL) como treinamentos de Coaching, é importante que fique claro: PNL não é Coaching.

A Programação Neurolinguística é um conjunto de modelos, estratégias e crenças que são utilizadas para o desenvolvimento neural, o que leva o indivíduo a alterar a percepção que ele tem do mundo por meio de uma variedade de técnicas extraídas de pessoas que tiveram algum sucesso.

No entanto, apesar de ser muito popular, a PNL levanta muitas controvérsias, pois permanece sem comprovação científica. Ou seja, ela não é considerada uma ciência.

Coaching X Autoajuda

Assim como o Coaching, a autoajuda é um conceito que prevê o bem-estar e a realização do indivíduo.

No entanto, os meios para atingir isso são bem diferentes. Na autoajuda, o indivíduo se torna uma espécie de professor de si mesmo, tendo que descobrir com seus próprios meios os caminhos para uma vida melhor.

No Coaching, porém, a pessoa será acompanhada de perto por um profissional altamente qualificado que possui métodos, técnicas e ferramentas com as quais a incentivará e desafiará, de maneira que esta aumente sua consciência e desenvolva as habilidades necessárias para atingir seus objetivos.

Gostou deste conteúdo? Então curta, comente e compartilhe!

Quer saber mais? Então se liga nos próximos posts e envie agora mesmo suas dúvidas para contato@rodolfovasconcellos.com.br.

Até a próxima!

Qual a origem e história do Coaching?

No post de hoje vou falar sobre a origem e a história do Coaching.

Não é possível determinar com exatidão quando surgiu, porém os termos “Coach” e “Coaching” já eram usados, desde a Idade Média, para descrever os cocheiros e seu trabalho – conduzir as carruagens (coche) até seu destino.

Em meados de 1850, o termo passou a ser atribuído a professores que orientavam e preparavam os estudantes para as provas.

A essência ainda era a mesma: conduzir a pessoa ao ponto desejado – à descoberta do conhecimento.

No entanto, o conceito de Coaching mais próximo do atual surgiu no lançamento do livro “The Inner Game of Tennis – O Jogo Interior do Tênis”, do educador e técnico Timothy Gallwey, em 1974. 

O fato contribuiu significativamente para que essa metodologia passasse a ser conhecida e utilizada no meio pessoal e profissional.

Na obra, Gallwey relaciona a vida real a dois jogos: o primeiro é exterior, contra um oponente visível; o segundo é aquele que ocorre na mente do indivíduo, com seus sentimentos e dificuldades internas, como desconfiança, nervosismo, frustração e medo.

Ao longo das décadas, o método desenvolveu-se e, com influências de diversas áreas do conhecimento, chegou ao que conhecemos hoje: técnicas de desenvolvimento humano, que valorizam as competências do indivíduo levando-o a um processo de evolução – do ponto A ao B.

Quando começou a ser aplicado em algumas organizações, os benefícios foram visíveis no que diz respeito ao aumento da performance humana, o que veio a potencializar os resultados de times e empresas.

A evolução do Coaching foi ainda mais necessária devido às rápidas mudanças e às novas necessidades das empresas.

Assim, o conceito de Coaching expandiu-se e tornou-se o principal aliado no desenvolvimento de pessoas e culturas organizacionais em todo o mundo.

Gostou deste conteúdo? Então curta, comente e compartilhe!

Quer saber mais? Então se liga nos próximos posts e envie agora mesmo suas dúvidas para contato@rodolfovasconcellos.com.br.

Até a próxima!

Afinal de contas, o que é Coaching?

Existem muitas definições para esta palavra, mas, para simplificar, vou direto ao ponto, ok?

Coaching é um processo que aumenta os resultados positivos de pessoas, times e empresas por meio do uso de metodologias, técnicas e ferramentas.

A prática está fundamentada em estudos de diversas áreas que comprovam sua eficiência em melhorar a performance em qualquer âmbito desejado.

Entre as bases científicas do Coaching estão a Psicologia Cognitiva, a Psicologia Comportamental, a Psicologia Positiva, as Ciências Organizacionais e a Neurociência, além de conceitos da Filosofia, da Educação e de Administração (negócios, processos e liderança).

A finalidade fundamental do Coaching é atingir uma meta ou objetivo e, para isso, um profissional habilitado (o Coach) conduz o cliente (o Coachee) a buscar novas compreensões e alternativas para alcançar seus maiores desejos, baseando-se sempre num processo estruturado com início, meio e fim. 

Essa parceria é calcada em muito diálogo e numa relação de confiança entre o Coach e o Coachee.

De que forma isso acontece?

Durante o processo de Coaching, aprende-se pela ação – e aprende-se com a ação.

Que ação? Experiências de fato + autoconsciência. Esse é o diferencial das técnicas de Coaching.

Ao invés de apenas pensar sobre nossos comportamentos ou de projetá-los sobre os outros, o Coachee descobre que é capaz de moldá-los, que tem força para criar novos hábitos e de romper as barreiras da procrastinação e da lamentação – ou do fazer ilusório.

Responsabilidades do Coach e do Coachee

Cabe ao Coach (o profissional habilitado):

• Fornecer conhecimento;

• Apoiar;

• Não julgar;

• Manter sigilo;

• Ser confiável;

• Ter comprometimento;

• Reunir as competências ideais para atuar;

• Agir com responsabilidade.

E cabe ao Coachee (o cliente do Processo de Coaching):

• Ter abertura e disposição para a mudança;

• Demonstrar responsabilidade acima da média;

• Comprometer-se genuinamente com o processo de Coaching.

Gostou deste conteúdo? Então curta, comente e compartilhe!

Quer saber mais? Então se liga nos próximos posts e envie agora mesmo suas dúvidas para contato@rodolfovasconcellos.com.br.

Até a próxima!

O Poder dos 4 D’s para a Conquista de Resultados

Você sabe quais são os 4 D’s Essenciais para a Conquista de Resultados? Então assista este vídeo, onde falo quais são esses 4 D’s e porque eles são importantes e poderosos!

Você é um(a) profissional antifrágil?

Mais do que resiliente, você é um(a) profissional antifrágil?

Você sabe como desaprender hábitos antigos e que não fazem mais sentido?

Você sabe como reaprender algo novo que te deixará uma pessoa e um(a) profissional mais forte, capacitado(a) e adaptado(a)?

Então se liga aí que hoje de tarde vai ter vídeo novo no meu canal no YouTube!

Inscreva-se no meu Canal no YouTube e assista o vídeo assim que eu publicar.

Canal do Rodolfo Vasconcellos no YouTube

Olá pessoal, tudo bem?

Precisei alterar o meu canal no YouTube, vocês podem me ajudar se inscrevendo lá?

É rapidinho, basta acessar o link abaixo e clicar em INSCREVER-SE.

Desde já obrigado!

Canal do Rodolfo Vasconcellos no YouTube -> https://bit.ly/rodolfovasconcellos

FORÇAS DE CARÁTER: o que é e como descobrir as suas

Quer alcançar a felicidade autêntica e aumentar suas realizações? Bem, há vários elementos que podem contribuir com isso, por exemplo, as emoções que sentimos e os pensamentos que criamos ao longo da nossa rotina.

Mas existe um ingrediente especial que muita gente se esquece de acrescentar ao dia a dia: as forças de caráter.

O que são forças de caráter?

As forças de caráter são as características positivas individuais que, quando colocadas em prática, trazem um impacto extremamente benéfico ao desenvolvimento humano.

Após muitas pesquisas, os estudiosos da área de análise do comportamento humano identificaram 24 diferentes forças de caráter – como bondade, gratidão, cidadania, criatividade, perseverança, amor ao aprendizado, entre outras – e as separaram em seis grupos, chamados de virtudes.

De modo geral, quase todos nós possuímos essas 24 forças em diferentes graus, então cada indivíduo possui sua própria composição, tornando-nos únicos.

PhD. Martin Seligman, considerado o pai da psicologia positiva, afirma que as pessoas só podem ser realmente felizes quando descobrem e utilizam suas forças em todos os aspectos de suas vidas.

Por que é tão importante conhecer suas forças de caráter?

Não é à toa que Martin Seligman afirma que somente é possível alcançar a felicidade se aplicarmos em nossas atividades diárias as nossas principais forças de caráter.

Diferentes estudos mostram que quando usamos nossas forças de caráter nas atividades diárias, há um aumento significativo de autoestima, energia e vitalidade, além de melhorar nossos relacionamentos e proporcionar maiores chances de atingir objetivos.

Imagine que em um ambiente profissional, uma abordagem focada nas forças de caráter é capaz de elevar até 73% o engajamento dos colaboradores.

Desta forma, quando as forças são usadas, o trabalho não é visto pelos colaboradores somente como um meio de subsistência, mas também como uma forma de viver o seu propósito e a sua missão de vida.

Contudo, os resultados obtidos são significativamente mais satisfatórios e, ainda, é possível obter mais harmonia e união no time quando todos possuem consciência das forças uns dos outros.

Como descubro as minhas forças de caráter?

A essa altura, talvez você esteja se perguntando quais são as suas principais forças de caráter, como faço para descobrir isso? Calma, já vou te explicar, passo a passo.

Existem diversas avaliações práticas que podem te ajudar a identificar essas características, o VIA Survey Of Character é a ferramenta mais utilizado em escala global para isso, mas sugiro começar com um exercício de autoavaliação.

As forças de caráter têm a ver com aquilo que fazemos naturalmente bem. Vamos começar o teste?

Pergunte-se: o que você faz com excelência?

Pare por alguns instantes e reflita: que atividades você realiza com excelência e pelo que você já foi reconhecido em sua carreira. Pelas suas habilidades de liderança? Pela sua persistência? Curiosidade? Anote.

Identifique: quais são as atividades fazem você se sentir bem e energizado

Identifique quais são as atividades que fazem você se sentir bem energizado ou energizada. Após essa reflexão, busque separar cerca de 15 minutos para realizar o teste abaixo para saber, de maneira mais assertiva, qual é a sua composição de forças.

Faça o Assessment VIA CHARACTER

Para realizar o teste que afirma quais são suas forças de caráter, siga o tutorial abaixo:

  1. Acesse o site do VIA: www.viacharacter.org;
  2. Selecione o seu idioma Português (Brasil);
  3. Em seguida escolha “Via Adult Survey” (para adultos acima de 18 anos) ou “Via Youth Survey” (para jovens com idade entre 10 e 17 anos);
  4. Incluir/cadastrar suas informações pessoais como primeiro e último nomes, email principal e senha de acesso no sistema;
  5. Cliquem em “Begin The Survey” (Iniciar a pesquisa);
  6. Você preencherá um questionário com 120 perguntas e 5 alternativas possíveis;
  7. Após a conclusão do Teste, na ultima tela clique em: DOWNLOAD YOUR FREE VIA Character Strengths Profile para realizar o download do seu relatório de forças (gerará um arquivo PDF em português).

Atenção! Após descobrir a sua composição de forças é muito importante que você procure valorizá-las e aplicá-las sempre que possível em suas atividades.

Negligenciar esses traços da sua personalidade pode trazer uma sensação de vazio, como se algo estivesse faltando em seu trabalho ou em seus afazeres.

Seja em sua carreira, em seu dia a dia ou em um passeio, lembre-se de que sempre haverá uma oportunidade para você colocar em prática aquilo que você faz bem. E que essa é a chave-mestra para uma vida mais feliz!

Gostou deste artigo? Então curta, comente e compartilhe em suas redes!

Quer saber mais sobre as Forças de Caráter e como aplicá-las para o Desenvolvimento de Carreira e Liderança? Então Fale Comigo agora mesmo!

O mundo precisa de você – de todas as suas 24 Forças de Caráter

“O mundo precisa de suas ideias, suas estratégias, suas melhores habilidades para lidar com a adversidade (criatividade). 

O mundo precisa que você fale interessadamente com as pessoas ao seu redor, deixando-as se expressar e liberar seus fardos (curiosidade). 

O mundo precisa do seu pensamento racional e equilibrado,
para contrabalançar as vozes interiores de pânico e ansiedade (julgamento). 

O mundo precisa que você continue aprendendo e crescendo, de novas maneiras, para que você se sinta bem com o seu dia (amor pelo aprendizado). 

O mundo precisa de seus bons conselhos,
um vislumbre da imagem global em meio aos detalhes assustadores (perspectiva). 

O mundo precisa da sua bravura – para ajudar alguém que você nunca ajudou, a ver o mundo de uma nova maneira, apesar do medo (bravura). 

O mundo precisa que você persista –
para superar os enormes obstáculos e sofrimentos que você nunca enfrentou antes (perseverança). 

O mundo precisa da sua autenticidade – agora não é hora de exageros, fake news ou suposições (honestidade). 

O mundo precisa do seu entusiasmo – para elevar sua energia,
mesmo quando você se sente drenado pela incerteza e pelo desconhecido (entusiasmo). 

O mundo precisa de toda a sua simpatia e genuinidade agora – cada grama vale 10 vezes o seu valor original (amor). 

O mundo precisa que você não perca de vista a sua compaixão e generosidade, ou sua busca ativa por maneiras de ajudar (bondade). 

O mundo precisa da sua empatia – toda cidade, bairro e pessoa – podem ser assunto de seu interesse (inteligência social). 

O mundo precisa que você veja que faz parte de um grupo (muito) maior, que pode optar por ser colaborativo (trabalho em equipe). 

O mundo precisa de seu senso de justiça – em vez de acumular, dê; em vez de culpar, elogie; ao invés de ser a vítima, seja o herói (justiça). 

O mundo precisa de sua liderança – suas novas ideias inspirarão os diferentes grupos dos quais você faz parte (liderança). 

O mundo precisa que você abandone os aborrecimentos, negligências e as irritações familiares que encherão sua mente (perdão). 

O mundo precisa que você, às vezes, preste atenção nos outros e não em si mesmo (humildade).

O mundo precisa que você seja cauteloso toda vez que sair de casa, pelo menos por um tempo (prudência). 

O mundo precisa que você seja controlado, não seja raivoso, e que a sua paz seja contagiante (auto-regulação). 

O mundo precisa que você se sinta inspirado pela bondade dos outros, porque isso significa que você também pode ser altruísta (apreciação da beleza). 

O mundo precisa de sua esperança e positividade, oferecidos com ponderação, pois muitos ao nosso redor estão se perdendo na escuridão (esperança). 

O mundo precisa de sua apreciação, mostre aos outros que você nota os seus atos de gentileza, e assim serão mais gentis (gratidão). 

O mundo precisa do seu humor (!) – da sua brincadeira, de sua habilidade em criar leveza, quando nos sentimos pesados e esgotados (humor). 

O mundo precisa que você veja que estamos todos juntos nessa, que toda reação tem uma ação que a precede e uma consequência (espiritualidade). 

O mundo precisa de você. . . De você por inteiro.”

Autor: Ryan M. Niemiec, Diretor de Educação, Instituto VIA

Traduzido por: Renata Rangel 

Disponível aqui.